Português do Brasil English

Notícias

28/12/2018
O Mercado hoje: Dólar abre em queda com alívio no exterior, em dia de formação da Ptax
por Agência CMA

O dólar comercial abriu o último pregão do ano em queda de mais de 1% em relação ao real, que tem o melhor desempeno entre as moedas de países emergentes, com o ambiente externo mais positivo para divisas e commodities. Aqui, é dia de formação e preço da taxa Ptax – média das cotações do dólar apuradas pelo Banco Central (BC) – de fim de mês.

Às 9h56 (de Brasília), a moeda norte-americana operava em queda de 1,02%, cotada a R$ 3,8540 para venda, depois de atingir a mínima de R$ 3,8330 (-1,56%) e máxima de R$ 3,8850 (+0,23%). No mercado futuro, o contrato para janeiro caía 0,55%, a R$ 3,8530. Lá fora, o Dollar Index recuava 0,27%, aos 96.221 pontos.

“O dólar está em queda livre, com o exterior bem positivo para as bolsas, moedas e para o petróleo. Enquanto isso, aqui é dia de formação de preço da [taxa] Ptax de fim de mês em que claramente os vendidos vão ganhar a ‘briga’”, comenta o diretor da corretora Mirae, Pablo Spyer. Ele acrescenta a continuidade do volume de negócios abaixo da média nesta semana, encurtada em razão do feriado de Natal.

O otimismo dos agentes financeiros na abertura as sessão ainda tem como pano de fundo a declaração do vice-presidente eleito General Mourão, afirmando compromisso do futuro governo com a reforma da Previdência. Segundo ele, o projeto deverá ser direcionado ao Congresso ainda no primeiro semestre. Porém, deixa claro que adaptações estão sendo feitas à proposta.

“O real tem a melhor performa entre as emergentes por causa das expectativas de uma rápida aprovação da reforma. O mercado quer saber com que agilidade isso será feito”, diz o diretor da Mirae.

Já o analista da Correparti, Ricardo Gomes Filho aposta em “laterialidade” da moeda na segunda parte dos negócios, após a formação da taxa Ptax, com ausência de notícias, baixa liquidez e sem atuação do Banco Central. “Mas é evidente a falta de força do dólar no exterior. Isso deve manter o dólar para baixo”, avalia.

 Via Agência CMA

Contato