Português do Brasil English

Notícias

07/03/2016
O Mercado hoje: Dólar opera em queda, abaixo de R$ 3,80
por G1

 O dólar opera em queda nesta segunda-feira (7), após ter fechado em queda na sexta-feira, com anova fase da operação Lava Jato tendo como alvo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Às 10h09, a moeda norte-americana operava em queda de 0,01%, vendida a R$ 3,7601. 

Acompanhe a cotação ao longo do dia:
Às 9h09, queda de 0,01%, a R$ 3,7601.
Às 9h19, queda de 0,26%, a R$ 3,7506.
Às 9h39, queda de 0,38%, a R$ 3,7463.

Na sexta, caiu 1,09%, a R$ 3,7607. Na semana passada, a queda foi de 5,93% - maior recuo semanal desde outubro de 2008, segundo a Reuters. No mês e no ano, há desvalorização acumulada de 6,06% e 4,74%, respectivamente.

Notícias que aumentam a pressão sobre Dilma, alvo de processo de impeachment, vêm sendo bem recebidos pelo mercado, que entende que uma troca no governo pode trazer de volta a confiança e abrir espaço para mudanças na política econômica, segundo a Reuters.

Ainda assim, alguns analistas ponderam que as turbulências políticas podem dificultar ainda mais a governabilidade no presente. Além disso, não é certo que a saída da presidente resultaria em um governo mais apto a promover as reformas econômicas dolorosas que muitos acreditam ser a chave para a recuperação brasileira, acrescentou a Reuters.

Ação do BC 
O dólar reduziu as perdas na sexta após o BC vender apenas parcialmente a oferta de swaps cambiais, contratos equivalentes a venda futura de dólares, em leilão para rolagem.  

Em seu programa diário de intervenção no câmbio, o BC vem rolando integralmente todos os swaps nos últimos sete vencimentos. Segundo a Reuters, neste mês o BC vinha indicando que rolaria integralmente os swaps que vencem em abril, que correspondem a US$ 10,092 bilhões, vendendo sempre a oferta integral diária de até 9,6 mil contratos. Na sessão passada, porém, vendeu apenas 8 mil swaps, golpeando instantaneamente as cotações -  rolou ao todo US$ 1,790 bilhão em swaps, ou cerca de 18% do total. Se mudar o ritmo e passar a oferecer 8 mil contratos por dia, vendendo sempre o lote integral até o penúltimo pregão, como de praxe, o BC rolará cerca de 85%.

Estrategistas do banco BNP Paribas escreveram em nota clientes que entendem que a rolagem parcial é um sinal de que o BC não permitirá que o dólar caia muito além R$ 3,70.

Via G1

 

 

 

Contato